Sentada te vejo alerta
O mundo observa atenta
Aberto teu olho espera
Quando nas nuvens o sol se enterra

Pinica teu olho e arde
Lágrimas escorrem tarde
E, no horizonte respinga
De sangue na terra pinga

Toda vermelha arde a terra
Pois, esquecido o Sol se sentiu
Quando tu, Lua, dalí partiu
À noite, a voltar ele te espera
Querendo vê-la, apreciá-la, na abonança
Enganado está, pensa como criança
Se enterra tu quando ele o faz
Cara-metade deixando para trás
Assim todo dia acontece
Pena, pois ele à merece

E, fim da noite chega
Mas, não os aconchega
Assim, sozinhos ficam
Sequer… pecam

Andrey Montenegro Escarião